A volta à rotina de trabalho pós-pandemia de Covid-19 deve ser muito diferente do que conhecíamos antes do isolamento social adotado nessa época crítica. De acordo com uma pesquisa da Fundação Cabral, 70% das empresas brasileiras pretendem manter o home office parcial ou integral depois da quarentena.

Outro levantamento, realizado pela Cushman&Wakefield, uma empresa global de serviços imobiliários comerciais, aponta que 40% das empresas que não trabalhavam em regime de home office antes da quarentena vão passar a adotar essa prática de maneira definitiva. Entre os motivos estão o sucesso da experiência ao adaptar as equipes para o trabalho remoto, e também os altos custos de manutenção do espaço físico.

Além de altos antes da pandemia, esses custos seriam ampliados com a necessidade de espaços comerciais maiores e que permitissem uma distância entre as mesas dos funcionários conforme recomendam as autoridades de saúde. “Os custos de aluguel, energia elétrica, água e limpeza, que já eram altos, ficarão ainda maiores para aquelas que não aderirem ao home office. Será necessário um aumento do escritório para acomodar a mesma quantidade de pessoas. E adaptar a companhia para o trabalho remoto, mesmo que parcial, passa pela definição e contratação de um sistema inteligente para controle de trabalho à distância, uma vez que a coordenação e o engajamento das equipes será fundamental para a eficiência dessa migração”, afirma Rogério Rodrigues, project manager da Ponto Móvel, criadora do PMóvel.com.

Com tecnologia israelense, o PMovel.com fornece detalhes de localização por meio de internet em celulares, computadores ou por telefones fixos. Todas as informações de entrada e saída dos funcionários ficam registradas em um sistema de nuvem e geram automaticamente relatórios, que podem ser acessados pelo gerente da empresa ou de RH, oferecendo aos gestores facilidade no dia a dia e otimização do tempo para essas tarefas.

O executivo explica que esses sistemas proporcionam a modernização da jornada de trabalho e oferecem relatórios de horas trabalhadas. “O controle é ainda mais eficiente do que no regime presencial e evita pagamento de horas extras desnecessárias e banco de horas a mais. O PMóvel.com atende à legislação trabalhista brasileira, tem ABNT, está em conformidade com as portarias do Ministério do Trabalho e pode ser integrado à folha de pagamentos, cadastros e arquivos fiscais”, completa Rogério.

O PMovel.com permite controlar a rotina de funcionários sem que eles precisem usar os relógios de ponto tradicionais. O sistema oferece a definição, por GPS, do perímetro regional onde o trabalhador deve executar suas atividades e informa a localização do funcionário no momento do registro, facilitando o acompanhamento e garantindo a presença nos locais e horários marcados. Também contempla a marcação offline, transmitindo as informações quando o aparelho estiver novamente online.

Por outro lado, os funcionários ganham com a precisão dos cálculos de horas trabalhadas, auxílio no autocontrole das atividades e podem usar os relatórios como comprovação do tempo trabalhado.

O serviço PMovel.com pode ser adquirido diretamente da empresa ou seus distribuidores e o preço mensal varia entre R$ 5 e R$ 12 por usuário, com instalação instantânea

Em função do momento atual provocado pela pandemia de COVID-19, a Ponto Móvel vai disponibilizar sua solução por 60 dias, sem custos para novos clientes. No mundo todo, o PMovel.com está presente em pequenas, médias e grandes empresas, como o Grupo Simões, que faz parte do Sistema Coca-Cola Brasil e é uma das maiores franquias da marca no país, entre outras.