A pandemia forçou empresas à transformação digital que, em muitas delas, não haviam planos de acontecer agora. Outras, no entanto, já se planejavam para a implantação do modelo de trabalho em home office. O fato é que nem todos esperavam ter os bons resultados que hoje são registrados, adotando esse modelo de trabalho, alguns, inclusive, se viram obrigados a executar o home office para não verem suas empresas pararem.

Além dos bons resultados de desempenho acima da média por parte dos funcionários, os empresários ainda puderam contar com economia de custos, o que já faz com que algumas empresas pensem em adotar o sistema de trabalho mesmo no contexto pós-pandemia. “Contudo, assim como o início da pandemia nos empurrou para transformações bruscas, o final dela, a entrada no pós-pandemia, igualmente vai exigir novas atitudes para que seja possível manter os resultados”, aponta Bruno Grillo Castello, CEO e fundador da Bcast Consultoria.

Castello faz, inclusive a seguinte provocação: “como será a rotina de um colaborador em home office no pós-pandemia, quando ele tiver de volta suas liberdades como almoçar fora, encontrar amigos, ir ao shopping, faculdade, etc?” E não é um desencorajamento por parte dele. Castello aponta que o seu objetivo é ajudar com que as empresas continuem acreditando no home office, colhendo bons frutos.

Um novo momento de transição

É inevitável pensar que logo a pandemia vai passar e outro contexto terá lugar. Entretanto, para alcançar os resultados esperados, o mais prudente agora é já ir se preparando para essa transição. No entanto, sem esquecer o contexto atual.

Castello aponta três principais pontos de atenção que já foram evidenciados durante a pandemia para evitar ao máximo o atrito nos processos de trabalho. São eles: horário do expediente, estrutura de trabalho e reuniões virtuais.

Horário do expediente

Mandar os funcionários simplesmente para casa e exigir deles disponibilizade em horário comercial, não traz resultados. As ações devem ser pensadas pelas empresas, já que os resultados vão além de um horário a ser cumprido.

As empresas devem se apegar à ferramentas e metodologias de controle de tarefas e entrega de resultados, como o modelo Scrum, que é uma metodologia ágil muito utilizada em gestão e planejamento de projetos de software, para a realidade da empresa.

Além disso, pode-se dividir as demandas em Sprints, onde são programadas as entregas semanais e/ou mensais para cada um de sua equipe, permitindo que cada um trabalhe, na medida do possível, em seus melhores e mais produtivos horários. A metodologia ainda estabelece uma reunião diária, de no máximo 15 minutos, para alinhamento do andamento das atividades de cada integrante do projeto. Com isso, garante-se a troca entre os times e, de quebra, o comprometimento dos integrantes.

Estrutura de trabalho

Os investimentos no home office podem ser bem superiores aos que as empresas esperam. Afinal, ter um computador disponível não é o bastante, é preciso uma boa internet, telefone e mobiliário ergonômico, por exemplo.

Vale lembrar, inclusive, que, pela medida provisória 927 em decorrência da pandemia, o home office transitório é permitido até dia 31 de dezembro de 2020, como medida paliativa, segue as mesmas regras da CLT em termos de carga horária. No entanto, ainda não existe regra clara quanto a responsabilidade dos custos assumidos pelos colaboradores em casa, como internet, energia e afins. O ideal é que, da mesma maneira que a empresa economiza com despesas fixas e vale transporte, estude reembolsar o seu colaborador nos custos assumidos por ele.

Reuniões virtuais

As reuniões à distância, utilizando programas avançados de telecomunicação, exigem novos códigos de comportamento para ganharem eficiência, uma nova cultura corporativa que ainda está sendo construída e aprendida. Você já tem uma ferramenta segura e estável para estas reuniões? Será que sua empresa terá melhor retorno com a equipe apenas parte do tempo remota, revezando dias em casa e no trabalho?

As reuniões e encontro online devem ser rápidos e objetivos, assim como presencialmente, ou ainda mais. Pauta e engajamento, são fundamentais para a condução de uma boa reunião, que não pode acontecer em qualquer horário só porque o coloborador está em casa. Assim, agende em horários comerciais e tente não avançar para fora do expediente.

Concluindo, busque ajuda de especialistas, entenda a legislação, as tecnologias e as ferramentas disponíveis para viabilizar uma nova relação entre empregador e empregado na qual ambos os lados precisam ter seus benefícios estabelecendo a famosa e importante relação ganha-ganha.