in

Equilíbrio emocional e controle da ansiedade em tempos de pandemia

Como manter o equilíbrio emocional e controlar a ansiedade em tempos de pandemia

equilibrio-emocional-e-controle-da-ansiedade-em-tempos-de-pandemia

A pandemia tem forçado adoção de novos costumes, adaptações e rupturas nas rotinas de pessoas do mundo inteiro. Se em um cenário “normal” já não é costume trabalhar o equilíbrio emocional e manter o equilíbrio em meio á tantas mudanças, isso pode ser ainda mais complicado.

O isolamento social e/ou a quarentena têm feito muitas pessoas ficarem sem abraças quem ama, seus familiares e amigos, por exemplo. Tem sido difícil ficar sem sair e confraternizar com a galera, não é mesmo? Demonstrar carinho e recebê-lo é quase que combustível para seguirmos os dias. Acolher e ser acolhido é alimento para a alma.

Conceiyção Montserrat, com mais de 25 anos atuando no mercado nacional e internacional à frente de gestão e fomentação de negócios fez algumas reflexões de como manter o equilíbrio emocional diante de tantas rupturas e mudanças no cotidiano das pessoas.

Como manter o equilíbrio emocional diante de tudo isto?

Segundo Montserrat, manter o equilíbrio mental e emocional no atual cenário, é como lutar com você mesmo nos menores detalhes e nos pequenos desejos. “A ansiedade é indubitavelmente o que mais devemos trabalhar no dia a dia. Não permitindo que ela tome boa parte de seus pensamentos e emoções prejudicando tomadas de decisão e planejamento”, destaca.

Ela argumenta que podemos tirar proveito desta situação para explorar nossas capacidades, nos descobrindo em tarefas e condutas que não havíamos experimentado anteriormente. “Me dei conta que muitos de nós passávamos muito tempo focados em nosso trabalho, nos preocupando com questões futuras e não vivenciávamos momentos que eram importantes e que estavam acontecendo a todo tempo e nosso olhar sempre aguardando algo que planejávamos, deixando passar situações maravilhosas ao nosso lado ou a nossa frente, ansiando sempre algo ou alguma coisa que não sabíamos o que era”, acrescenta.

Efeitos do cenário atual

A verdade é que o momento fez com que todo mundo desacelerasse. E ficar sem realizar todas as atividades de costume e/ou ter que substituir por outras nada esperadas, fez com que muitas pessoas repensassem, inclusive, suas carreiras. No entanto, Montserrat sugere que “podemos utilizar este momento para realizar o verbo no tempo passado nesta letra e diante desta crise sanitária fazer disto um verbo no tempo presente, organizando mais este “tempo” para dizer aos nossos amigos, familiares, clientes o quanto são importantes para nós”.

Concordando com Montserrat, não é distante pensar que evemos mesmo ser mais “carinhosos” com as pessoas que estão á nossa volta. Demonstrar carinho em um momento tão difícil pode ser um fio de felicidade para quem está passando por conflitos de ordem interior. Além disso, se dispusermos nossa força em doar trabalho e ações a quem de fato necessita em campanhas e instituições que necessitam de nossa ajuda em trabalhos coletivos e sociais, certamente faremos a diferença.

“Desta forma conseguiremos organizar nossa mente e a relação com o entorno, pois, estamos olhando para nossas necessidades com olhar diferente, sem tanta ansiedade, podendo participar de projetos coletivos, torcendo para que tudo acabe da melhor forma possível e que possamos sair desta situação GRANDES, FORTES e TRANSFORMADOS para evoluirmos a cada dia mais”, conslui.

Escrito por Jardeson Márcio

Jardeson é Mestre em Tecnologia Agroalimentar e Licenciado em Ciências Agrária pela Universidade Federal da Paraíba. Atualmente é professor substituto na mesma Instituição e assessora a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Meio Ambiente de sua cidade.
Entusiasta no mundo tecnológico, gosta de arquitetura e design gráfico. Economia, tecnologia e atualidade são focos de suas leituras diárias.
Acredita que seu dia pode ser salvo por um vídeo engraçado.

cursos-de-vendas-pelo-instagram-e-whatsapp

Cursos de vendas pelo Instagram e Whatsapp

com-contas-a-receber-profissionais-sentem-o-peso-da-inadimplencia

Com contas a receber profissionais sentem o peso da inadimplência