O Brasil foi classificado em pesquisa feita pela TMF Group, especialista em serviços de contabilidade, folha de pagamento e internacionalização de empresas, como o segundo país mais complexo do mundo para se fazer negócios. A pesquisa considera apenas a Indonésia mais complexa que o Brasil em termos de impostos, regras, regulamentos e questões trabalhistas.

O estudo, feito em 77 países, analisa fatores como pagamento de impostos e contabilidade, dificuldade para contratar, demitir e gerenciar folha de pagamento e questões relacionadas a regulações e penalidades.

O que revela o Índice Global de Complexidade Corporativa

O Índice Global de Complexidade Corporativa revela que, apesar dos progressos realizados nos últimos anos em que foram implementados impostos digitais e mais simplificados, o Brasil ainda é um ambiente de negócios muito complexo. O país conta com dezenas de regimes fiscais diferentes, distribuídos em três instâncias governamentais: federal, estadual e municipal.

Rodrigo Zambon, Diretor Geral da TMF Brasil, destaca que “O Brasil conseguiu evoluir numa agenda que melhora o ambiente de negócios. Mas o país ainda apresenta uma série de desafios para quem vem investir e empreender por aqui. Países como a Grécia, que caiu, no último ano, da primeira para a quinta posição no ranking, estão fazendo mudanças de modo mais enfático e colhendo os frutos deste esforço”.

Todavia, Zambon acredita que, mesmo com a complexidade, provavelmente, haverá uma onda de aquisições de empresas brasileiras a partir do segundo semestre deste ano. Ele revela que essa tendência é devido à desvalorização do real, que permitiu aumento na procura por ativos no Brasil por parte de fundos soberanos e empresas de private equity. “Percebemos esta tendência de maneira bastante intensa em nossos contatos com estas entidades estrangeiras”, acrescentou Zambon.

Mais do relatório da TMF Group

No relatório, os entrevistados apontam que procedimentos de RH no Brasil, como a contratação, demissão e gerenciamento da folha de pagamento se tornarão menos complexos nos próximos cinco anos. Mas, eles não acreditam que regras, regulamentos e penalidades, um dos importante obstáculo para as empresas que operam no Brasil, não mudarão no próximos cinco anos.

O ranking dos países mais complexos do mundo, traz, logo depois do Brasil, Argentina, Bolívia e Grécia. Em sexto lugar, aparece a China. Além disso, outro dado importante é que dos dez primeiros colocados, seis são latino-americanos.

Em penúltimo lugar, portanto o segundo menos complexo do mundo, aparece os Estados Unidos. Os EUA, perde apenas para Curaçao, país pertencente ao Reino dos Países Baixos, situado no sul do Mar do Caribe.