Quando nos é solicitado que criemos uma senha para acesso online de diversos apps e plataformas, é claro que acreditamos que estaremos seguros, até porque ninguém quer ser hackeado. Mas nem todo mundo parece tomar as precauções necessárias para proteger suas informações, para alguns, usar uma senha fácil é mais interessante, pois lembrará sem muito esforço.

O LastPass by LogMeIn analisa os motivos para isso. E aparentemente o medo de ser hackeado muitas vezes não é grande o suficiente para superar o medo de lidar com senhas mais fortes. O que as pessoas ainda não pararam para pensar é que dá para ter senhas fáceis de lembrar, mas com um nível de segurança maior. É possível utilizar senhas mais fortes e ter tranquilidade na hora de fazer login também.

Se você usa uma senha por que ela é fácil de lembrar, lembre-se que isso também significa fácil de adivinhar. Resultados recém divulgados do Relatório de Psicologia de Senhas do LastPass, que entrevistou 3.250 pessoas nos EUA, Reino Unido, Austrália, Brasil, Alemanha e Cingapura, revelam que esse é um dos maiores erros que as pessoas cometem.

Os usuários revelaram que suas senhas contém informações confidenciais (24%) e que possuem um “sistema pessoal” para criar senhas (29%), por exemplo, usam o nome da conta mais os números que têm significado para eles, ou variações diferentes das mesmas datas. Mas, criar sistemas que superem os hackers e seus algoritmos de computador é um tanto quanto difícil.

Nas redes sociais, por exemplo, é muito fácil colher dados para conseguir acessar contas pessoais de outras pessoas. Quem nunca respondeu um questionário divertido no facebook? Pois é, essas são ótimas fontes de informações para hackers e é por isso que datas de aniversário, apelidos, animais de estimação e informações pessoais geram senhas de muito fácil acesso. O hacker é esperto e fica de olho nessas brechas.

Na pesquisa do LastPass, 22% dos entrevistados disseram que também poderiam adivinhar a senha do seu parceiro. O que mais assusta é que destas pessoas, 71% disseram poder adivinhar a senha de e-mail, 68% as contas de mídia social e 33% as contas financeiras. E o pior, 19% afirmaram que poderiam até adivinhar as senhas relacionadas ao trabalho de seus parceiros. Cuidado! Se pessoas próximas conseguem adivinhar suas senhas, certamente outras também podem!

O fato é que as pessoas continuam usando senhas fáceis por medo. A pesquisa revela que 60% afirmam ter medo de esquecer as informações de login e 52% também afirmam querer controlar e conhecer todas as suas senhas. Parece que criar uma senha longa e de difícil memorização gera um medo de ter que redefinir as senhas constantemente. Nesse caso,  omedo está impedindo as pessoas de fazer o que sabem que é preciso. O medo faz pensar que é melhor usar senhas simples e memoráveis, iguais ou quase iguais, em todas as contas. Pode até parecer seguro mas quem faz isso corre ainda mais risco de ter suas contas hackeadas ou invadidas, o que pode custar muito dinheiro, tempo e uma enorme violação de privacidade pessoal.

E que tal criar todas as senhas com um gerador de senhas?

Uma forma mais segura de proteger sua senha é usar um gerador de senhas para criar palavras de acesso diferentes para todas as contas. Um gerador de senhas conta com um algoritmo de computador para criar códigos totalmente únicos, longos e fortes. E você não precisa decorá-las. A maioria dos gerenciadores de senhas, como o LastPass, detecta formulários de login e preenche as informações automaticamente. As contas são armazenadas em um cofre digital pesquisável e fácil de usar, para que o usuário controle todas as suas senhas o tempo todo em qualquer dispositivo ou navegador.

Com a necessidade de trabalhar remotamente e socializar mais de forma online com as pessoas por conta da pandemia do novo coronavírus, os ciberataques têm ganhado mais espaço e essa talvez seja a hora de você parar para pensar em proteger mais seus dados.