Hábitos de consumo mudaram durante a pandemia, como mostra um estudo realizado pela Criteo. Compras pela internet, serviços feitos por delivery e realização de compras através de aplicativos mobiles são medidas adotadas por brasileiros durante a pandemia do coronavírus. Conforme dados da análise, 67% dos consumidores, acabou descobrindo que manterá um nova forma de compras, nesta fase de isolamento social.

Esta empresa de tecnologia, renomada em oferecer aos profissionais de marketing de todo o mundo publicidade confiável e impactante, elaborou estudo observando o comportamento de consumidores na última quinzena do mês de maio. Aqui no Brasil, hábitos de consumo foram mudados durante o isolamento social e um caso específico neste período, foi a alta procura por alimentos ofertados pela internet, onde mais da metade dos brasileiros (52%) entrevistados, manterão esta nova forma de consumo.

Mudando hábitos

Além disso, dados mostram como o novo coronavírus impactou no fim de serviços “não essenciais”, acabou influenciando a maior procura por compras online, mudando por completo os hábitos. Por exemplo, mais da metade dos brasileiros durante o estudo, preferem fazer seu próprio alimento e tendem a manter isso como hábito.

Em virtude do isolamento social, cerca de (65%) dos brasileiros entrevistados, viram uma maneira de modificar velhos hábitos. Com a proibição do direito de ir e vir, a busca pela prática de exercícios aumentaram, bem como a compra de aparelhos de ginástica e download de aplicativos de treinos, o que para 50% dos brasileiros se tornará um rotina assim que acabar o isolamento.

Outro ponto importante é que o home office aumentou durante a pandemia. Com a maioria os estabelecimentos fechados, trabalhar em casa se tornou um das saídas encontradas para manter os serviços em dia, e que para 46% deles, manterão essa prática com o fim do isolamento.

Presentes ainda em alta

Com tantas datas comemorativas que se passaram e a obrigação do isolamento, mesmo assim não foi o suficiente não comprarem presentes. Conforme dados fornecidos pela Criteo, 65% dos brasileiros continuarão presenteando normalmente.

No Dia dos Namorados, em relação a 2019, os consumidores anteciparam as compras dos presentes. Em 2019, viu-se um acréscimo de 25% das compras no dia anterior à data; neste ano, as vendas subiram 18% em 8 dias antes do Dia dos Namorados. Um dos casos mais específicos foi a alta procura por flores, que teve um aumento de 111%, e compra de artigos esportivos que aumentou em 41%.

Contudo, a distância aumentou o número de entregas por compras online: 41% subirá nos próximos meses, em contramão dos 35% que irão diminuir a entrega presencial. 36% dos brasileiros usarão em datas comemorativas os descontos oferecidos, como cupons, vale presentes e vouchers, já que teve um acréscimo.

Guarda-roupas renovado

O ganho de peso afetou o não só consumo online como também a compra em lojas físicas,com a iminente reabertura de shoppings e lojas. Segundo dados da pesquisa, mais da metade dos brasileiros ganharam uns “quilinhos” a mais, durante o isolamento social.

Mesmo que em menor número, existem também aqueles que perderam peso durante o isolamento, onde 22% disseram que houve uma diminuição do peso corporal, mudança esta que ocorre devido ao período de isolamento e a mudança de rotina, e que a maioria deles sentem necessidade de renovar o guarda-roupas.

Cautela no retorno as atividades

Entretanto, com iminente abertura dos shoppings, boa parte destes consumidores irão demorar a frequentar lojas físicas. De 4 entre 10 brasileiros estarão prontos para voltar aos shoppings daqui a 2 meses. Desses, 27% diz que irão demorar de 3 a 5 meses para entrar em lojas físicas; 18% só retornarão entre 6 e 9 meses; enquanto 16% afirmam que só retornarão depois dos 9 meses.

Dos entrevistados, 15% estariam dispostos a frequentar shoppings e lojas físicas, aumentando e fortalecendo cada vez mais o comércio online.

Finalizando, com relação às viagens, embora 68% dos brasileiros querem viajar novamente, 38% dizem que não viajarão tão cedo, enquanto 24% afirma que levará de 6 a 9 meses para viajarem de novo. Contudo, viagens curtas se tornaram cada vez mais buscadas pelos brasileiros. 

Metodologia

As análises da Criteo são baseadas em um banco de dados com informações de mais de 80 países e 2 bilhões de compradores mensais ativos, que gastam cerca de US $900 bilhões anualmente em aproximadamente 20.000 sites de comércio eletrônico. A partir desse enorme conjunto de dados, a Criteo pode observar tendências globalmente e entre regiões – Ásia-Pacífico, Europa e Américas.