A pandemia acelerou um processo de transformação digital no mundo inteiro, inclusive no Brasil, que ainda dava seus primeiros passos. Empresas tiveram que mudar suas rotinas de trabalho e possibilitar que os colaboradores trabalhassem de suas residências, e observaram que dá para trabalhar de casa sim. Mas, o momento também modificou a forma de consumo e como as empresas estão fazendo para chegar até os clientes em isolamento social.

O marketing colaborativo

Um tendência que em marketing, tem sido o marketing colaborativo, ou marketing 4.0, onde empresas criam ações com seu público-alvo e os próprios consumidores ajudam a espalhar as informações.

Essa evolução tem sido auxiliada, inclusive pelo uso de uma ferramenta chamada Brand Entertainment, que tem, por objetivo, explorar ações de entretenimento, como vídeos e jogos, por exemplo, para levar experiências reais de maneira criativa e surpreendente, mostrando, assim, os valores da empresa.

Entretanto, Melina Alves, CEO da DUXcoworkers, consultoria de que tem como foco a experiência de usuário, avalia que “Se este novo marketing tem por essência impactar seu público-alvo e ajudar os negócios a crescerem por meio de colaboração, é preciso ter em mente que, mais importante do que uma ação bem desenvolvida, é ter um produto final que, em si, também impacte o cliente”.

User Experience

A junção de boas campanhas e bons produtos que o marketing perde todo o seu valor se o que chega às mãos do consumidor não corresponder à altura. O que compete a melhor performance do produto chamamos de experiência de usuário – UX, de user experience – e o profissional desta área é responsável por otimizar todas as pontes, do atendimento e embalagem ao tempo de entrega e praticidade de uso.

O processo envolve estudar as emoções e respostas dos consumidores diante do produto ou serviço, assim, é  possível oferecer a melhor experiência possível por meio de recursos que facilite sua usabilidade.

Segundo a CEO da DUXcoworkers, “A aplicação do UX tem em si não apenas o objetivo de facilitar a compra via websites, mas também ser algo prático a ponto de se tornar essencial ao consumidor e que, de maneira bastante intuitiva, traga os ideais da empresa. O marketing colaborativo, com a força que tem, de se propagar rapidamente entre as pessoas, precisa se unir ao bom UX, para intensificar a força da campanha”.

“O marketing colaborativo é a versão atualizada do que, no passado, conhecíamos como a “propaganda do boca a boca”. Agora, mais personalizado e ciente da importância do papel de cada consumidor para a propagação de sua marca”, finaliza Melina.