Empresas de publicidade estão perdendo milhões por causa de recurso do Safari

Há um tempo a Apple introduziu um novo recurso no seu navegador de internet, o Safari, que melhora a privacidade dos usuários, mas está prejudicando muitas empresas.

A Apple implementou no Safari o “Intelligent Prevenção Acompanhamento” (ITP), um sistema que limita para anunciantes as quantidades de informações recebidas a partir da navegação do usuário. Meses mais tarde, os efeitos são sentidos cada vez mais na forma de milhões em perdas para os anunciantes.

O ITP tem uma operação curiosa, com a intenção de proteger a privacidade dos usuários, a Apple não permite que os anunciantes rastreiem  a atividade do usuário fora de suas próprias páginas web. Ou seja, com outros navegadores, se por exemplo você está procurando por sapatos em um site qualquer, um coockie rastreador da Amazon ou do Google pr exemplo, poderia verificar que você estava interessado em sapatos e oferecer anúncios de sapatos posteriormente.

Já no Safari esse rastreador só pode saber que você está procurando sapatos quando você está olhando para o site da Amazon em si. Em outras palavras, os anunciantes têm muito menos informações sobre você do que antes.

Conforme relatado pelo site The Guardian, empresas de publicidade estão percebendo os estragos do ITP em receita. Por exemplo, a empresa Criteo (que tem um mercado de 15% de share estimado publicidade on-line)pode reduzir em 2018 20% de sua renda devido ao ITP. Uma vez que ela  tem apenas 15% de market share e em 2016 teve um volume de negócios de 730 milhões de dólares … você pode fazer uma idéia de quanto dinheiro eles vão perder e não só eles, mas outras empresas também.

Várias organizações da indústria de publicidade protestaram contra o uso desse recurso, assim que o ITP  foi lançado, chamando -o de “unilateral e desajeitado” e uma ameaça para o “valioso ecossistema de publicidade digital que financia grande parte hoje dos conteúdos e serviços digitais.” A Apple respondeu a este protesto:

A Apple acredita que os usuários têm direito à privacidade. […] A tecnologia de rastreamento de anúncios se tornou tão difundido que as empresas de publicidade podem recriar a maior parte da histórico da navegação web do usuário. Esta informação é coletada sem permissão e é utilizada para a reorientação de anúncios, que é a maneira em que anúncios perseguem os usuários pela internet.

É preciso deixar uma coisa clara, é que o ITP não bloqueia anúncios por si só , não sendo um bloqueador de conteúdo em si. Sua função é proteger a privacidade do usuário, impedindo que as empresas tenham acesso  ao seu histórico de navegação. Assim, as empresas de publicidade vão ter de encontrar uma outra maneira de rastrear o usuário, parece que o impacto no mercado de navegadores que o Safari tem, é mais importante do que podíamos imaginar.

Apaixonado e usuário Apple desde 2006. Usuário Linux desde 1999, minha primeira distro foi um Conectva Marumbi. Sim, sou um old geek.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *